Prosas
cátia
A cátia não gosta muito de pedir coisas, quando o faz, encolhe-se um bocadinho e faz uma voz querida como quando fala com o bruno ao telefone. Se lhe dizemos que sim, que lhe fazemos o favor fica muito contente mas não é de grandes abraços e beijinhos, um sorriso e um muito obrigada mostram que se um dia precisarmos ela vai retribuir. Gosta de fazer as coisas o mais à maneira dela possível, mas não se impõe quando tem de trabalhar com outros meninos. É muito calada e sabe o que quer, não grita para o conseguir mas arranja sempre maneira de dar um toquezinho discreto no que acha que ainda não está bem.
Cátia é de poucas demonstrações de afectos, coisas de meninas os beijinhos e os abracinhos e os gosto muito de ti numa voz esquisita. Franze o nariz a essas coisas, é mais prática do que afectuosa.
Se foi um animal noutra vida só pode ter sido um corvo ou algo parecido, as coisas brilhantes atraem-na como as coisas doces às formigas.
É discreta, muitas vezes as pessoas não reparam nela e são capazes de lhe perguntar o nome dois meses depois de a conhecerem, isso tira-a do sério.
Tem um problema muito grave com tinta da china, que nas suas mãos ganha vida própria e espirra por todos os lados, fica-se então pelas aguarelas, mais suaves e discretas um pouco como ela.

Apesar de não gostar que se diga tem uma ligeira semelhança com uma cantora pop, os cabelos lisos e escuros, o nariz médio e fino, os lábios bem desenhados fazem pensar em que momento cátia vai saltar para cima da mesa e desatar a cantar qualquer coisa sobre ser como um pássaro. Isso nunca aconteceu e o seu único dote musical é mesmo fazer qualquer canção parecer uma coisa entre o ranger de uma porta e um rádio com interferências. Definitivamente o futuro de cátia não será na música.
Os pequenos pormenores na sua maneira de vestir dizem que um bocadinho da cátia pequenina ainda mora dentro dela, mas um bocadinho muito leve, suave como uma aguarela.
Diz fazerem-lhe confusão as pessoas muito mais baixas que ela, não gosta de parecer gigante, talvez tenha medo de pisar alguém.

Um dia a cátia há de ser qualquer coisa que ainda não sabe muito bem, qualquer coisa que envolva a arte mas sem exageros, cátia é uma artista moderada, não gosta muito de filosofar. Um dia, há de ser do mesmo tamanho há de ter uma casa bonita com coisas brilhantes, os seus filhos hão de se alimentar melhor do que ela, comer vegetais e fruta sem refilar, nunca hão de comer carcaças porque não são pão. Há de ter uma torradeira enorme que dê para a família inteira fazer torradas de pão alentejano. Na sua casa os pratos não vão precisar de ser todos iguais, mas as toalhas da casa-de-banho sim. Ela há de continuar a não ter paciência para grandes confusões e a ser uma menina decidida mas a deixar sempre as coisas para a última hora. Talvez deixe de comprar ténis de 60 euros, mas vamos ter de esperar para saber.
 
Lidda @ 24-04-2007 23:51:38
Comentários
@ 21-05-2007 1:45:28
Citar   Impróprio?
*sorriso* obrigada por gostares
@ 13-05-2007 0:08:11
Citar   Impróprio?
tens mesmo uma maneira especial de escrever :P
Pág: 1 de 1Ant.   <<   < [ 1 ] >   >>   Seg.