Poemas
Viagens
Bate suavemente
A lua sobre o jardim
Não se vê o seu encontro
Não se sabe o seu fim
E canta
Canta sem fim
Entoando os sete acordes
Dedilhando nas cordas da vida
Como a respiração da criança nascida
Olha à tua volta
Repara na imensidão
Tudo volta e rebola
Enquanto me dás a mão
Pensas que é tudo uma ilusão
Mas eu digo não
Olharemos o céu
E as nuvens partirão
Palavras para quê?
Se o que interessa
É o que se vê
Iremos voar
E na terra aterrar
Mandando um abraço
A quem chorar!
Amigos de coração cheio
Ouçam o meu cantar
Juntem-se a nós
E o mundo mudar
Para a Amizade comandar!
 
Formiga @ 13-06-2011 22:44:38, actualizado a 17-06-2011 19:08:51
Comentários
Ainda não existem comentários neste texto. Seja o(a) primeiro(a) a fazer um!