Poemas
Pecados Pagos
Muito mais que viver eternamente, Queria viver para sempre jovem, Mesmo eu chorando velho para sempre, Lágrimas de criança que me cobrem. Velho este menino tão se sente. Que sabe bem quem é, mas não de quem, Como o mundo balança intermitente, Equilibrado em si no mal ou bem. Esse equilíbrio constante sou eu, Sem coragem para escolher lugar, Quando já o mundo todo escolheu. Talvez da minh?alma esteja a pagar Males que noutra vida cometeu, E que alguém me está agora a cobrar.
 
Agostinho_Lavrado @ 01-04-2006 0:00:00
Comentários
Ainda não existem comentários neste texto. Seja o(a) primeiro(a) a fazer um!