Poemas
Pássaro do Espinho

(Inspirado na série televisiva "Thorn Birds")

No teu olhar vislumbro o nascer de cada dia;
Percepciono, com alegria, as cores e tons com que executo o reflectido sentido do amor.

O Universo que nos rodeia é pleno de harmonia;
Na medida em que somos nós que assim o desejamos.

A transmissão do nosso amor surge espontânea e audaz;
É a vivacidade que nos impele mutuamente, um para o outro.

No sentido desejo, de amar tão só num beijo,
Que cala e agita, acalma, sacrifica,
Todo o bater de coragem, no coração que disponho.

Igual pássaro do espinho, também eu tenho a sorte,
Morrerei nesse dia, em que a forma aguda, comprida e segura, o meu bater travar;
Nessa hora de aflitos, entre choros e gritos,
Entoarei melodias nunca antes ouvidas.

De mim, nesse dia, restará a alegria, de quem viveu o intenso;
Nesse choro entoado, no meu grito acabado,
É em ti que repouso, junto a ti que deslizo;
P'ra ser sempre memória, tua imagem recente,
Que me afaga e me sente, no lembrar cada hora;

Levo sempre comigo, teu sabor, teu aroma,
P'ra lembrar como sente, o teu ser já ausente;
Da tristeza sofrida, na saudade querida,
No te querer p'ra todo o sempre.
AB(24-Jan-1991)

 
A.Brito @ 11-02-2007 10:01:48
Comentários
@ 13-02-2007 1:38:45
Citar   Impróprio?
Não conheço a série, mas o poema está estupendo.
Pág: 1 de 1Ant.   <<   < [ 1 ] >   >>   Seg.