Poemas
Impotência

Impotência

Há uma impotência que nos

Vence, que nos tolhe os movimentos,

Que retrai sorrisos e palavras de pesar.



Uma impotência que se expande

Nos limites da nossa própria acção,

Que se conserva nas memórias,

E depois se projecta nos

Nossos sonhos para os tornar irrealizáveis.



Há uma impotência em cada gesto,

Em cada olhar, uma impotência

Em cada tentativa de esquecer,

Em cada esforço de fazer passar

Tudo o que nos marca

Por qualquer coisa de banal

Ou de irrelevante.



Há uma impotência para apagar

Tudo o que se tornou definitivo.



21/12/06

 
ricardomtj @ 08-08-2011 1:29:36
Comentários
Ainda não existem comentários neste texto. Seja o(a) primeiro(a) a fazer um!