Poemas
ESPELHO
Todo o meu poema é triste.
Pode até ter ironia, mas é uma ironia triste.
Escrevi um dia um poema que não era triste.
Mas já lá vai tanto tempo, que não sei porque é que não era triste.

Parece-me agora, que foi á séculos que escrevi esse poema sem tristeza.
Foi um momento único, que nem percebo como, não tive em mim tristeza.
Eram tempos diferentes… segundos diferentes, mas no meio de tantos poemas é mau só ter um… sem tristeza.
Queria ver a beleza que dizem no mundo existir, e que dá braços á alegria… mas eu, sou tristeza.

Pois penso tristemente.
Escrevo ainda mais… e mais tristemente.
Vivo isto que para mim não é vida, tristemente.
E escrevo em vez de “fim” para finalizar este poema triste e carregado de tristeza… TRISTEMENTE.
 
pseudo-poeta @ 06-02-2012 17:48:30
Comentários
Ainda não existem comentários neste texto. Seja o(a) primeiro(a) a fazer um!