Poemas
Cafuné
Uma criança a aprender a andar de bicicleta, essas são as minhas mãos. Tanta vontade, tantas quedas, tantas tentativas... O teu cabelo escapa-me por entre os dedos, o teu cabelo que breves segundos apenas se deixa segurar. Depois lembro-me de todas as coisas lindas que tenho para te dizer. Os meus dedos escrevem uma a uma por entre o cabelo que não se deixa segurar... Este é o meu cafuné.
 
azulcinza @ 23-08-2019 11:55:46
Comentários
Ainda não existem comentários neste texto. Seja o(a) primeiro(a) a fazer um!