Prosas
A PAZ
A PAZ Estive presente quando você nasceu. Você era uma criança bonita, saudável, que desaguou seu medo em lágrimas ao ser retirado do seu pequeno mundo. Passou a ser amamentado com amor e carinho; presentes chegavam aos montes, ocupando todo o espaço ao seu redor. Você começou a engatinhar e descobrir o novo mundo que um dia dominaria. Sua curiosidade era tamanha que quase aprontou uma confusão. Quando repreendida com palavras sem nexo passava a chorar amolecendo corações. E assim você foi crescendo... Tornou-se um menino levado; não obedecia mais a ninguém e só dava ouvidos aos maus conselhos. Suas atitudes revelaram o déspota que haveria de surgir. Enfim a adolescência! Garotas, carros, motos e Rock and Roll. Até aí nada demais; a não ser as drogas que vieram com ela: violência, desprezo, caos... Tentei persuadi-lhe, mas não consegui. Testemunhei sua alma sendo tragada pelo ódio. Hoje, daqui da mais alta montanha, eu acompanho todos os seus passos: guerras, fome, pragas, racismo, infanticídio, poluição, terrorismo, queimadas, fanatismo e a degradação do Meio-Ambiente. Tamanho estrago despertou a fúria da Natureza: terremotos, tornados, furacões, maremotos, incêndios e tsunamis. Milhares de mortos, e, mesmo assim, você não se redimiu. Não posso intervir no seu destino. Tenho que permanecer aqui esperando pela sua decisão. Oxalá um dia, quando em seu coração não existir um só resquício de ódio, eu poderei novamente recebê-lo de braços abertos, com o mesmo sorriso quando lhe vi nascer. ----------------------------------------------------------------------------------------------- * (Agamenon Troyan)
 
agamenontroyan @ 17-02-2009 1:09:35
Comentários
Ainda não existem comentários neste texto. Seja o(a) primeiro(a) a fazer um!